Noga Sklar nasceu em Tibérias, Israel, em 1952. Cresceu em Belo Horizonte e viveu por 30 anos no Rio de Janeiro, cidade que deixou para se refugiar com seu marido Alan num paraíso entre as montanhas de Petrópolis. Apesar das muitas mudanças e da crescente universalidade de seus temas, mantém-se uma escritora mineira com certeza.

Graduou-se em Arquitetura pela Universidade Santa Úrsula, Rio de Janeiro, mas na juventude se destacou mais como designer de móveis e artista gráfica. Passou a se dedicar à literatura após publicar seu primeiro livro, no ano 2000 — Fases da Lua, pela Editora Madras, republicado mais tarde KBR como Eu, xamã —, no qual narra suas experiências como esotérica e militante da Nova Era. Nascia aí seu estilo inédito de “autorradiografia”, mais divulgado como “ficção autobiográfica”, gênero que pratica até hoje.

Conheceu seu atual marido Alan Sklar na internet, em 2004, através do site americano de encontros judaicos JDate. Este encontro deu novo impulso à sua vida e à sua carreira literária. Baseado nas interações reais dos dois através de “bate-papos” online e troca de e-mails, escreveu seu romance Sem graus de separação, publicado inicialmente em 2006 pela Giz Editorial sob o nome Hierosgamos – Diário de uma sedução e republicado posteriormente KBR. Além de forte conteúdo sexual, o livro tem também um marcante componente judaico, tendo sido apelidado pela escritora e psicanalista Ana Cecília Carvalho um “Cântico dos Cânticos” moderno.

Seguiram-se os livros de crônicas Santa Molly (Um diário de bordo do Ulysses, de James Joyce) — publicado inicialmente pela Ibis Libris sob o nome O gozo de Ulysses — e Hoje não quero chorar, já publicado originalmente pela KBR.

A KBR, editora pioneira dos ebooks no Brasil, foi fundada por Noga e Alan em 2009, logo após a mudança para sua casa em Petrópolis. O que começou como uma aventura pessoal tornou-se a empresa líder no mercado brasileiro de ebooks, antes que qualquer livraria virtual se estabelecesse no Brasil. Tendo publicado o primeiro ebook brasileiro (Amazon.com), um título bilíngue de Thereza Rocque da Motta, Noga foi atuante nesse processo, e permanece até hoje como líder do segmento na Amazon brasileira, onde fez vários best sellers. Noga ainda toca pessoalmente a editora, que conta com um catálogo de mais de 200 títulos em vários segmentos, notadamente o de crônicas e acadêmicos de Psicologia, assunto em que se aprofundou e se especializou como editora.

Ao longo de sua trajetória, Noga firmou-se como cronista, podendo ser considerada uma das responsáveis pela revalorização do gênero no Brasil. Mantém uma bem-sucedida revista eletrônica semanal, contando em 2015 com mais de 100 edições publicadas na Amazon, a série Singles K, e vem criando um portfolio de novos cronistas. Em seu próprio trabalho literário, criou uma nova rotina de publicação, publicando semanalmente desde 2006 uma crônica que, bem além de autobiográfica, analisa com humor e ácida crítica os acontecimentos no Brasil e no mundo, com forte viés político. Seu subject matter é a mulher, muitas vezes a mulher judia, inserida no cotidiano contemporâneo com todas as suas exigências e nuances.

Suas crônicas são reunidas uma vez por ano em um volume publicado pela KBR. E assim Noga Sklar tornou-se autora de uma permanente “autossaga”, que em 2015 já conta com 10 volumes publicados. Em 2016 publicará seus primeiros livros traduzidos por ela mesma para o inglês, entre eles o romance No degrees of separation, escrito em inglês originalmente na troca de mensagens com Alan, que é americano. Suas traduções, usando expressões correntes e reproduzindo os modos culturais dos Estados Unidos, resultam numa verve inédita, muitas vezes diferindo do original em português e constituindo um trabalho inteiramente novo.

Atualmente, vive com seu marido Alan Sklar em Greenville, na Carolina do Sul, para onde se mudou em outubro de 2014.

Livros publicados

Inglês

No Degrees of Separation, 2016
Welcome to America, chronicles, 2015

Upcoming: Tough Love, 2017

Português

Eu, Xamã, ensaios, KBR, 2008
O pomar da Timóteo da Costa, ensaios, KBR, 2008
Um Kindle pra chamar de meu, crônicas, KBR, 2009
Luau Americano, crônicas, KBR, 2009
Dois, meia, meia (profissão: escritor, crítico, redator),crônicas, edição digital KBR, 2010
Hoje não quero chorar, crônicas, KBR, 2010
Santa Molly, crônicas, KBR, 2012
Sem essa, aranha, crônicas, KBR, 2012
Sem graus de separação, romance, KBR, 2012
Autorradiografia, crônicas, KBR, 2013
Kortaki, manual de conversão digital, KBR, 2013
Na poltrona do editor, crônicas, KBR, 2014
PT, saudações, crônicas, KBR, 2015

Fonte: Dicionário de Escritores Judeus Brasileiros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *